Páginas

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

o que eles disseram sobre oração


"acho que a oração é análoga ao sexo. a maioria das pessoas tem queixas de sua vida sexual, poucos se dão realmente bem. o sexo e a oração são relacionamentos íntimos e excessivamente glamourizados. somos todos levados a crer que, na hora do sexo e da oração, devemos atingir a estratosfera. isso cria uma expectativa falsa. e destrói a intimidade". quem disse isso foi o frederick buechner e publicado no livro 'o que eles disseram sobre oração', de antonio gentil da costa lopes, cujo lançamento foi sábado passado. 

trata-se de uma obra com 800 pensamentos de mais de 160 personalidades sobre diferentes aspectos da oração. ainda não li todo o livro, mas essa frase, logo no início me chamou a atenção justamente por comparar coisas que, pra alguns, podem ser antagônicas e chocantes, até para os que não são religiosos. mas concordo com o autor quando fala da intimidade no relacionamento e da falsa expectativa de que, assim como no sexo, a oração tenha que te fazer entrar num transe celestial, ver anjos, ver deus, ouvir trombetas e coisas do tipo. a oração é sim transcendente, mas muito mais que isso, é uma conversa com deus e não uma lista de pedidos pessoais.

outra citação bacana é a do philip yancey quando diz que "a oração que se baseia no relacionamento, e não na negociação, pode ser a maneira mais libertadora de nos conectarmos com um deus cujo ponto de vista nunca poderemos assimilar e mal conseguimos imaginar".

bom, estou curtindo muito a leitura que, além desses dois caras citados, traz a. w. tozer, spurgeon, calvino, lutero e outros. creio que vai servir de base para muitos estudos em igrejas e tal, principalmente pela diversidade dos aspectos abordados, que vão desde os conceitos básicos até o assuntos polêmicos como cura e tal. 

o que acho estranho é a falta de mulheres no livro. como disse, ainda não o li inteiro e há nomes gringos que, por não conhecer, não sei tratam-se de nomes femininos ou masculinos. bem sabemos que o machismo impera também nas religiões (assim como em toda a sociedade), mas será que nenhuma mulher disse algo interessante sobre oração?
.
.
.

4 comentários:

antonio gentil disse...

ola lucas!
bacana seus comentários sobre o meu livro !
quanto a pouca participação feminina nas citações, deve-se a falta de obras cristãs em português, sobre oração escritas por mulheres. essa carência de obras delas me impressionou... porém, algumas contribuiram com citações (catherine marshall, eleonor doan, hannar more, juliana de norwich, lettie cowman...)
que achou do cordel ?
abraço !
Antonio Gentil
agclopes@ig.com.br

.lucas guedes disse...

é... de 160 personalidades faltam muitas mulheres mesmo, mas que bom que tem essas aí. o cordel é ótimo, mais pra frente escrevo sobre ele. e obrigado pela visita ao blogue. super responsa ter um comentário do próprio autor, mas parabéns, a compilação está mesmo ótima.

[denise abramo] disse...

na real, como em tantas outras áreas, as mulheres não têm deixado registro de seu pensamento, apesar de pensarem. enquanto os homens estudavam, dedicavam-se às suas profissões e à esfera do público, as mulheres mantinham-se no rotineiro mundo do privado, cuidando apenas da casa e dos filhos (atividades importantes mas que, sozinhas, atrofiam o intelecto mais aguçado). é a vida. foi assim durante muitos séculos, e a mudança está acontecendo muuuito devagar.

tudo de bão!

Juliana Cruz disse...

entao...eu digo algo, vai:

a semelhança entre eles, em minha humilde opinião, é que ambos podem ser considerados como uma fuga de algo. momentos longe do raciocinio lógico, etc e tal...

a diferença [de novo, para mim] é que o sexo funciona enquanto a oração...bem....não.