Páginas

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

eventos literários, prêmios e afins


pessoas, repararam na quantidade de eventos literários acontecendo em sp? eu, que nem sou da área (de que área eu sou mesmo?) não estou dando conta de ir a todos os lançamentos de livros bacanas, de eventos, bate-papo, cursos, debates, etc. semana passada, por exemplo, começou a bienal de livros, que em todos os meus 27 anos de existência, fui em quase todas.

na primeira, quando eu tinha lá meus 7, 8 anos, lembro que foi um prêmio da escola, por ter ganho um concurso de redação. ganhei também uns cupons pra trocar por livros e lembro da minha neura em querer levar todos. foi lá que conheci o ziraldo e até tirei foto com ele. foi legal.

mas então, eu estava falando dos eventos da semana passada. no sesc, começou (e já terminou) o cartografia web literária, cujo nome já diz tudo. até que foi legal no dia em que fui (13/8), não fora uma das participantes querer aparecer mais que o assunto. mas curti o papo coordenado pelo fabrício carpinejar, que aparece na foto abaixo. aliás, se você prestar bem atenção, atrás dele estava sendo exibido o blogue do marcelino, o eraodito. se prestar um pouquinho mais de atenção na foto, vai ver que meu blogue (este que você lê agora) está linkado lá, viu? é...

carpinejar

por falar em marcelino, estas outras fotos aí são do dia de lançamento do seu novo livro de contos, rasif - mar que arrebenta. bombou a festa. isso é pra provar que 1) não precisa ser chato pra ser escritor; 2) não precisa viver numa redoma pra ser escritor; 3) há muito escritor bom vivo e 4) etc.

marcelino

manu maltez e marcelino
pessoas

fora isso, tem muitas outras coisas. teve a flip, a flap. os vários saraus da cooperifa, cursos na casa das rosas, balada literária, e por aí vai, sem contar os diversos prêmios e incentivos à produção literária tanto do governo federal como estadual e municipal.

já que toquei no assunto, o maior deles é o 'prêmio são paulo de literatura 2008', que teve 146 inscritos. serão dois ganhadores na categoria romance, um para autor estreante e outro para melhor livro. cada um receberá 200 mil reais. SIM, 200 mil reais! sinceramente acho o valor bem absurdo. claro que, se eu fosse escritor, gostaria de ganhar uma bufunfa destas, mas, por ser um prêmio da secretaria da cultura de sp, será que não é um pouquinho demais?

e se eles pegassem essa grana e distribuíssem em mais categorias, com mais ganhadores?

pelo que sei, o prêmio jabuti, talvez o mais famoso fora do meio literário, entrega cerca de R$120 mil, dividos em 20 categorias, sendo que o autor do 'livro do ano' recebe R$30 mil. o itaú cultural, no projeto rumos literatura, está distribuindo pouco mais de R$ 200 mil divididos entre os quase 20 selecionados da edição 2007/2008 para produção de um ensaio.

há também os incentivos do PAC, da petrobrás, de prefeituras... (lembrando que entre 'incentivo à produção' e 'premiação' há uma série de diferenças). obviamente, não defendo que um autor receba apenas um cupom de troca de livros, como ganhei no concurso de redação da primeira série escolar...

...mas 200 mil reales - como prêmio à uma única pessoa - é muita grana SIM, principalmente num país miserável como o BraZiu.

ou não?
.
.
.

2 comentários:

[denise abramo] disse...

muita grana, sim.

dá pra lançar um monte de livros, organizar um monte de saraus, eventos itinerantes, fazer um monte de coisa.

se a grana for usada pra isso, ótimo! mas penso que a tendência é o cara querer arrumar a vida, mesmo. o que não é errado, só não reverte o benefício para os leitores.

::

Anônimo disse...

estive aqui, li e quero mais.

eduardo at