Páginas

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

rasif - mar que arrebenta, de marcelino freire

o autor



e ontem fui um dos quatro privilegiados, sortudos e felizardos a ouvir, em primeira mão, a leitura do novo livro do marcelino freire, lá na casa da escritora ivana arruda leite. os outros três eram a própria ivana, obviamente, a adrienne myrtes e andrea del fuego.


para ver as fotos (divertidíssimas) entre no blogue da ivana.


pode parecer bobo, mas foi um momento especialíssimo pra mim. estar ali com aquelas pessoas tão bacanas e tão talentosas, ouvindo um dos melhores escritores do brasil lendo originais de seu livro (ainda em fase de finalização) foi um presente.


[daqueles momentos simples com pessoas simples que te fazem sentir bem e a gente guarda para sempre]


sensacional.


bom, mas o que interessa é o livro, então fiz alguns comentários meio desconexos... mas está valendo.


RASIF - mar que arrebenta, deve sair em abril de dois mil e oito.


ao que me parece, é bem diferente dos anteriores. dá pra perceber o trabalho que marcelino tem para juntar as palavras e escrever um conto. quando digo 'trabalho' não falo necessariamente de sofrimento em criar as melhores frases, mas sim, da lapidação do conto até chegar onde ele quer.


os contos são completos em si mesmos, mas há também uma conexão entre cada um. nenhuma idéia fica solta, largada.


as palavras dele FALAM, não estão ali por acaso, para preencher a página. tem algo a mais.


tem poesia, música, ritmo.


tem ironia inteligente, não gratuita.


tem personagens belíssimos.


o que são aqueles atores? e o papai-noel? o leco? a laurinha, o felipe? o que é aquela mulher da lavanderia?


quem é aquele velho do álibi-pedófilo? e o júnior? meu deus, quem é o júnior?


uma coisa que não falei na reunião, talvez para não parecer ridículo, mas achei que rasif é mesmo um livro de amor. não sobre o amor, mas de amor, sabe?


bom, ainda tem muito o que dizer, mas por enquanto, é isso.


só faltou o cachê que o marcelino disse que ia pagar pra gente falar bem do livro...



adrienne myrtes, ivana e yo.



ivana, o autor e andrea del fuego, que me deu um alfajor argentino

todo mundo
.
.
.

4 comentários:

disse...

Sobrou um pedaço do alfajor? rs

Ivana Arruda Leite disse...

Ah, Lucas foi um prazer ter você na minha casa. Vamos repetir em breve. Temos muitas pizzas pela frente. Beijos

.lucas guedes disse...

sobrou nada lê. hehe....

ivana! aguardo as novas pizzas, conversas e fotos... bjão!

andréa disse...

Lucas, que bacana por aqui. Privilégio o Marcelino dividir seus contos, como você disse, de amor. Racif, amor que arrebenta. Beijos!